joybraga.jpg

Joyce Braga

Minha vida acadêmica foi na Psicologia e apesar de ser apaixonada pelo comportamento humano, alguma coisa me dizia que ali ainda não era o meu lugar.

Em 2009, me tornei Maquiadora profissional. Um ofício que eu jamais tinha pensado em seguir. Era um ano delicado e eu precisava ocupar meu tempo fazendo algo por mim e sem pretensão alguma acabei me descobrindo. Foi aos 25 anos que pela primeira vez senti uma certeza em relação ao meu lugar no mundo e num ato de coragem, larguei carreira, emprego, tudo em nome desse chamado.

 

13 anos se passaram e com todos os altos e baixos que vivi, não teve um dia sequer de arrependimento.

Percebi que, sendo maquiadora, eu também poderia exercer um pouco da Psicologia - ressignificando os meios mas preservando a finalidade: ajudar e empoderar mulheres, que assim como eu, nem sempre estavam confortáveis com a forma como se viam diante de um espelho.

No entanto, a minha inquietude nunca me deixou parada. Em 2016, em paralelo a maquiagem, expandi para o Audiovisual e a Fotografia alcançou um lugar muito especial na minha vida.

Nesse tempo passei a ministrar cursos e na tentativa de conciliar as atividades que ambas áreas me exigiam, precisei diminuir o ritmo dos atendimentos sociais. Foi nesse momento que priorizei a Fotografia como sendo a minha principal ferramenta de trabalho.

 

Através dela expandi o meu olhar e enxerguei uma beleza nua, que até então era um caminho pouco explorado, já que maquiar rostos sempre foi parte da minha rotina.

Ao reconhecer essa beleza, com marcas e cicatrizes, percebi que eu também poderia contar suas histórias sob uma nova ótica, fazendo assim se cumprir o meu propósito.

 

Durante esse processo, compreendi que o meu compromisso são com as pessoas. Mudo as ferramentas quando necessário, mas todas elas sempre me conduzem ao meu chamado, sentindo a vida a cada passo.

Meu caminho vem sendo desenhado pelo movimento - em conexões que jamais esquecerei e que me moldam dia após dia.